Bem vindo ao nosso website. Aqui iremos introduzi-lo nos nossos programas, apresentar-lhe as pessoas que vivem no CICD e iremos fazer o nosso melhor para lhe dar um vislumbre de como é a vida diária por aqui. O CICD é um sítio cheio de ativistas, de pessoas que tomaram uma decisão ativa em relação a algumas das questões mais importantes do nosso tempo, e decidiram permanecer lado a lado com os mais Pobres.

Desde 1998 que temos treinado centenas de Instrutores de Desenvolvimento no CICD – de todas as idades, de 80 diferentes nacionalidades, de diferentes religiões, de diferentes origens em todos os sentidos. Todos eles levaram a cabo trabalhos para o desenvolvimento nos projetos da Humana People to People na África Subsariana e na Índia, melhorando as condições de vida dos Pobres. Tire um momento para pensar em tudo isto – e tenha em consideração que temos 5 escolas parceiras com o mesmo tipo de programas. Os nossos estudantes têm formado, juntamente com os professores nas escolas e todos os milhares de pessoas nos projetos de desenvolvimento, uma verdadeira brigada internacional única, decidindo e agindo contra a maior contradição do nosso mundo atual – a diferença entre os ricos e os pobres. Num mundo que é dividido por fronteiras e guerras reguladas pela ganância dos que mais têm mas querem ainda mais, isto é em si excecional.

O nosso movimento é construído sob a união, confiança, progresso e respeito pelo ser humano. Num mundo onde os violentos conflitos nos recentes anos têm criado desconfiança e desrespeito pela vida humana, vamos lutar ao máximo para manter o nosso carácter e cultura em tudo o que fazemos.

Pobre é a pessoa que numa situação de desespero precisa de uma mão que a ajude a manter a cabeça erguida, a ver o seu futuro e da sua família para além da refeição seguinte. Usamos este termo para salientar que não vemos a pobreza meramente como um fenómeno a ser estudado e teorizado – vemos uma multidão de pessoas Pobres – pessoas como você e eu, que não tiveram oportunidade para começar, e têm sido vítimas de exploração durante séculos pelos nossos países – uma exploração que ainda continua. Mais de metade das pessoas de todo mundo vivem com menos de $2.5 por dia. É uma calamidade, e é necessário que façamos algo a respeito. Como o homem que moveu a montanha, temos de continuar a nos reunir aos milhares e permanecer lado a lado com os Pobres.

Nós acreditamos fortemente que a única maneira de ver algumas mudanças reais no nosso mundo é quando muitas pessoas se juntam, dizem “Basta!” e começam a criar o futuro que queremos para nós próprios e para as gerações seguintes. Não podemos esperar pelos governos e instituições oficiais para fazê-lo. A situação dos Pobres está a piorar, não a melhorar. A média de consumo duma família Africana diminuiu 20% nos últimos 24 anos. Porque é que com todos os recursos, sabedoria e tecnologia disponível na atualidade, nós permitimos com que isso acontecesse? Ao mesmo tempo as nações mais ricas fecham as suas fronteiras, reclamam pagamentos de dívidas aos países mais desesperados e impõem condições nos empréstimos e doações que não são do interesse dos Pobres, mas dos próprios países doadores. Esta é a consequência de um sistema económico que é marcado pela competição da ganância pessoal.


Para as pessoas tudo isto pode ser um pouco assustador, e quando adicionamos que neste momento estamos a pagar a multa por não termos cuidado do ambiente, aí temos de agir. Foi difícil durante algum tempo saber as consequências reais do aquecimento global – alguns diziam que não existia, outros pintaram uma situação muito negra no desenrolar dos 50 anos seguintes de como a temperatura iria aumentar. Agora não dá para duvidar que as mudanças climáticas estão realmente a acontecer. Alguns cientistas dizem que é demasiado tarde para reverter a situação – tudo o que podemos fazer é prepararmo-nos para o pior. Nós vemos os nossos políticos e líderes incapazes de se unirem e seguirem uma direção clara. Todos sabemos que os combustíveis fósseis que têm sido utilizados massivamente estão a esgotar-se, sabemos que a população mundial está a aumentar e o maior aumento é nas partes mais pobres do mundo. É lógico que o estilo de vida e o aumento do nível de consumo não pode continuar. Estamos a testemunhar um crescimento de sérios desastres naturais – tsunamis, fogos, cheias, sismos. Portanto faz sentido planear uma estratégia. Contudo, não podemos contar com os líderes mundiais para fazê-lo. Temos de nos juntar e criar um futuro diferente.

Um sábio filósofo disse: “A melhor forma de investigar um problema é resolvê-lo”. O mesmo serve para os desafios que enfrentamos nas próximas décadas. Somente quando enfrentamos e investigamos, compreendemos e aprendemos como lidar com eles e como agir mais corretamente. Implementamos isto no CICD. Todos os nossos programas são solidamente construídos na atual realidade e com visão para o futuro. É essencial que vivamos e trabalhamos coletivamente. Os desafios que enfrentamos são demasiado grandes para resolvermos sozinhos.

Trabalhamos para o desenvolvimento a todos os níveis. Mudando as coisas para melhor. Nos projetos em África e Índia, no CICD, numa comunidade maior, em equipas e grupos, e claro, em cada um de nós. Não é uma caminhada fácil. Trabalhar para o desenvolvimento é excitante e desafiante, visto que não existe nenhuma receita. Como pode ajudar uma comunidade no Malawi a criar uma situação melhor? Não pode encontrar a resposta correta numa enciclopédia. Talvez tenha de utilizar a sua imaginação e criatividade, aprender com os seus erros, ser corajoso e nunca desistir. Os estudos podem ajudar-nos a fazer melhores análises, mas a melhor maneira para aprender é combinar os estudos com a prática em grupo. Este é o tipo de prática que realizamos no CICD. O ensino aqui é baseado na ação. E irá estar constantemente envolvido em projetos, ações, planos e conclusões.

Todos compartilhamos a responsabilidade de gerir o CICD a todos os níveis. Temos todo o tipo de tarefas práticas, cozinhar e gerir a cozinha, limpeza e manutenção, jardinagem, cultivando alimentos e tomando conta do nosso lindo jardim, restaurando os nossos veículos e equipamento, gerindo a economia das equipas, entre outras responsabilidades. Viver em comunidade é também ter responsabilidade pela saúde uns dos outros. Para muitos esta é a primeira vez nas suas vidas que vivem desta maneira, com pessoas com as quais não escolheram partilhar as suas vidas. Existem conflitos para serem resolvidos, problemas para serem discutidos, diferenças entre pessoas a serem utilizadas da melhor forma. Todos temos de trabalhar as nossas aptidões sociais e interação com os outros.

Os nossos métodos de ensino não são tradicionais e são muito exigentes, tanto para os alunos como para os professores. Todos temos de ser ativos e estar envolvidos para obtermos esta experiência ao máximo.

Por favor leia o nosso web site e contacte-nos com todas as questões que tiver.